Skip to main content

Topics

Projects

Niveis de Serviço de saneamento

Published on: 23/04/2012

Avaliação dos serviços de saneamento nas áreas rurais e peri-urbanas de Moçambique.

A WASHCost desenvolveu uma serie de indicadores para cobrir os níveis do serviço associado às instalações de saneamento e usou esses indicadores para fazer uma avaliação mais abrangente das instalaçoes do saneamento disponíveis para os Moçambicanos do que as medidas tradicionais que apenas se concentram na tecnologia disponível de latrinas. Estes indicadores apresentam quatro Níveis (melhorado, básicoo, limitado e Sem serviço) que foram aplicados em quatro parâmetros (acesso, uso, Fiabilidade e protecção ambiental).

A WASHCost desenvolveu uma serie de indicadores para cobrir os níveis do serviço associado às instalações de saneamento e usou esses indicadores para fazer uma avaliação mais abrangente das instalaçoes do saneamento disponíveis para os Moçambicanos do que as medidas tradicionais que apenas se concentram na tecnologia disponível de latrinas. Estes indicadores apresentam quatro Níveis (melhorado, básicoo, limitado e Sem serviço) que foram aplicados em quatro parâmetros (acesso, uso,Fiabilidade e protecção ambiental).

Usando estas medidas abrangentes no nível de serviço, as constatações da WASHCost nas pesquisas realizadas em 2010 a respeito do saneamento nas áreas rurais e peri-urbanas de Moçambique sugerem o seguinte:

  • Acesso: 7% da populaçao Moçambicana rural e 38% da população que vive nas áreas periurbanoas tem acesso básico ao serviço de saneamento.
  • Uso: Diferentemente das constatações da UNDP e outras constatações, a WASHCost constatou que 99% de famílias que têm latrinas usam-nas. As constatações a respeito do uso parecem variar de acordo com as definicoes do ‘uso’ e das latrinas; os dados do baixo ‘uso’ estão geralmente ligados ao ‘uso de uma latrina melhorada’.
  • Fiabilidade: 56% da população rural e 58% da população peri-urbana Moçambicana tem accesso ao um serviço de saneamento fiavel.
  • Protecçao ambiental: Todos os serviços de saneamento rural pesquisados foram encontrados com um impacto ambiental não problemático. Isto implica que as latrinas não constituíam perigo para as fontes de água e o descarte de dejectos sólidos não criava poluição ambiental significativa.

Contudo, nas áreas peri-urbanas, não fomos capazes de estabelecer a segurança do descarte de dejectos sólidos.

  • 56% da população rural e 71% da população urbana Moçambicana têm acesso a um serviço de saneamento de nível limitado ou básico, com pelo menos uma latrina familiar com um tipo de plataforma que separa os utilizadores das fezes.
  • Estas quarto medidas podem constituir um indicador composto do serviço. No geral, tomando em conta estes quarto elementos do serviço, os dados da WASHCost revelam que 7% da população rural e 40% da população peri-urbana Moçambicana tem um serviço de saneamento de nível básico.

A WASHCost desenvolveu uma serie de indicadores para cobrir os níveis do serviço associado às instalações de saneamento e usou esses indicadores para fazer uma avaliação mais abrangente das instalaçoes do saneamento disponíveis para os Moçambicanos do que as medidas tradicionais que apenas se concentram na tecnologia disponível de latrinas. Estes indicadores apresentam quatro Níveis (melhorado, básicoo, limitado e Sem serviço) que foram aplicados em quatro parâmetros (acesso, uso, Fiabilidade e protecção ambiental).

Usando estas medidas abrangentes no nível de serviço, as constatações da WASHCost nas pesquisas realizadas em 2010 a respeito do saneamento nas áreas rurais e peri-urbanas de Moçambique sugerem o seguinte:

  • Acesso: 7% da populaçao Moçambicana rural e 38% da população que vive nas áreas periurbanoas tem acesso básico ao serviço de saneamento.
  • Uso: Diferentemente das constatações da UNDP e outras constatações, a WASHCost constatou que 99% de famílias que têm latrinas usam-nas. As constatações a respeito do uso parecem variar de acordo com as definicoes do ‘uso’ e das latrinas; os dados do baixo ‘uso’ estão geralmente ligados ao ‘uso de uma latrina melhorada’.
  • Fiabilidade: 56% da população rural e 58% da população peri-urbana Moçambicana tem accesso ao um serviço de saneamento fiavel.
  • Protecçao ambiental: Todos os serviços de saneamento rural pesquisados foram encontrados com um impacto ambiental não problemático. Isto implica que as latrinas não constituíam perigo para as fontes de água e o descarte de dejectos sólidos não criava poluição ambiental significativa. Contudo, nas áreas peri-urbanas, não fomos capazes de estabelecer a segurança do descarte de dejectos sólidos.
  • 56% da população rural e 71% da população urbana Moçambicana têm acesso a um serviço de saneamento de nível limitado ou básico, com pelo menos uma latrina familiar com um tipo de plataforma que separa os utilizadores das fezes.
  • Estas quarto medidas podem constituir um indicador composto do serviço. No geral, tomando em conta estes quarto elementos do serviço, os dados da WASHCost revelam que 7% da população rural e 40% da população peri-urbana Moçambicana tem um serviço de saneamento de nível básico.